8 dicas para encontrar um mentor

Por Evinis Talon
Veja os cursos com o prof. Evinis Talon: CLIQUE AQUI

Fonte: tradução, com adaptações, do seguinte texto (clique aqui)

Você precisa de uma boa ideia e o dinheiro para colocá-la em prática. Uma certa experiência também é bem-vinda, é claro. Para isso, você deve utilizar a arma mais poderosa de um jovem empreendedor: um mentor. Um bom mentor o ajudará a pensar em uma ideia de negócio e como obter o capital inicial, bem como adquirir a experiência necessária.

Meu avô, que tinha uma loja de antiguidades em Vancouver, na Columbia Britânica, era um empreendedor nato. Ele ajudou meu irmão e eu a lançarmos o nosso primeiro negócio: vender aviões de brinquedo em um festival local quando tínhamos 7 e 8 anos de idade. Com a sua ajuda, desenvolvemos a estratégia de marketing correta e vendemos todos os aviões em apenas duas horas.

O nosso primeiro mentor foi alguém em quem confiávamos e que se importou com o nosso sucesso. Ele tinha o conhecimento e as habilidades necessárias para nos manter focados e sabia que o primeiro sucesso seria fundamental para nos estimular a sonhar mais alto. Agora, 30 anos depois, Matthew e eu ainda nos encontramos e lembramos dos conselhos do nosso avô quando vamos planejar ou tomar alguma decisão.

Embora poucos empresários tenham a sorte de ter um grande mentor na família, não é difícil encontrar um. Aqui vão 8 dicas para você encontrar o seu mentor ideal:

1. Defina suas necessidades. Tenha em mente que as suas necessidades mudarão, conforme o seu negócio se expandir. Aproveite o tempo para determinar o que você quer neste momento. Crie uma lista de desejos para o seu mentor, estabelecendo as habilidades e ajudas que você precisa para poder dar o seu próximo passo.

2. Aproveite a internet. A internet não serve apenas para encontrar clientes. Ela também é fundamental para ajudar a encontrar um mentor. Você quer alguém que conheça o mercado e que possa lhe apontar a decisão correta a ser seguida. A internet vai te ajudar a encontrar essa pessoa e possibilitará um contato inicial.

3. Ouça mais, fale menos. Você está ansioso para ter o seu próprio negócio e por isso pode ser difícil manter o silêncio. No entanto, para encontrar um mentor, você precisará ouvir muito. Preste atenção no que eles irão lhe falar e aprenda a diferenciar um bom mentor de alguém que apenas sabe lhe dizer as palavras certas, no momento certo.

4. Seja “mentorável”. Se você aparentar saber de tudo (ou que pensa que sabe tudo), pode afastar muitas pessoas. Esteja disposto a receber ideias, ainda que estas não correspondam às suas expectativas. Um outro ponto de vista poderá te ajudar a resolver as coisas.

5. Seja flexível. Você pode ter um mentor por um longo prazo, mas também poderá se beneficiar de apenas uma tarde de conversas. Se você tiver a sorte de conseguir um tempo com alguém que raramente está disponível, absorva tudo o que puder e tome notas. Toda ajuda é bem-vinda.

6. Não negligencie os mentores “não tradicionais”. Alguns mentores podem te ajudar através de livros, programas de TV, seminários, discursos e internet. Meu irmão e eu sempre assistimos ao Richard Branson e o temos como um mentor. Nós não precisamos conhecê-lo pessoalmente para apreciarmos tudo o que ele ensina aos empresários do mundo todo.

7. Seja grato aos seus mentores. Quando as pessoas o ajudam, intencionalmente ou não, deixe-as saber disso. Mentores querem ajudar os outros a crescer. Pense o que você pode fazer para que eles saibam o quanto lhe ajudaram e o quanto você é grato por isso.

8. Pague mais para frente. Pode ser que você nunca seja capaz de pagar tudo o que os seus mentores fizeram por você, mas você pode fazer isso tornando-se um mentor para as outras pessoas e as ajudando também. Esse é um dos motivos pelo qual criamos o YoungEntrepreneur.com: auxiliar aqueles que compartilham dos mesmos sonhos e objetivos que nós.

Comentários do prof. Evinis Talon:

Na Advocacia, há certo medo de se tornar mentor ou pedir a mentoria de alguém. Normalmente, acredita-se que todos são concorrentes na Advocacia. Além disso, quando alguém tem conhecimento e experiência para instruir outra pessoa, normalmente, já está com a agenda lotada.

Humildemente, tento ajudar aqueles que me procuram de forma coletiva, isto é, por meio dos artigos postados diariamente no meu site (clique aqui).

Em cada conversa, presencial ou virtual (clique aqui), tento aconselhar aqueles que me procuram, mas sem “fórmulas mágicas” ou “métodos infalíveis”. Apenas dicas que decorrem da minha experiência e das várias tentativas que resultaram em erros e acertos.